Mostrando postagens com marcador sabão natural. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador sabão natural. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

GORDURA ANIMAL, "USAR OU NÃO USAR"?

Uma certeza para muitos saboeiros e dúvida para outros!!!
Primeiro quero deixar bem clara a minha posição, decidi desde o inicio que os produtos da “Bem Natural” seriam “sem gordura animal”, porque temos uma micro circulação abaixo da pele e tudo que colocamos nela é levado ao organismo pela corrente sanguínea.
Meu desejo e objetivo era diminuir o consumo de produtos industrializados e alterados pela indústria por uma questão de saúde, quem já teve graves problemas de saúde por ser mais sensível que a maioria das pessoas por corantes alimentícios, surfactantes sintéticos sabe do que estou falando e da necessidade de adquirir hábitos mais saudáveis para ter uma vida mais longa e com um pouco mais de qualidade.
Faço algumas exceções como aos derivados de abelhas, leite de cabra, proteínas da seda. Os benefícios do mel e da cera de abelha é quase que imprescindível para os cosméticos naturais, todos os outros aditivos são vegetais e minerais.
Outra decisão foi a utilização de conservantes naturais que envolveu alguns cursos de cosmética para entender melhor o sistema de conservação de um produto e então optar por usar conservantes naturais, prolongando e protegendo de forma mais inteligente o meu produto. Uma contaminação pode ser mais prejudicial que o não uso de conservantes adequados porque nos caímos mesmos motivos que nos levam a não utilizar gordura animal.
Para que compreenda o porque dessa decisão é preciso lembrar-se da doença da vaca louca e nessa época levantou-se a possibilidade de que pudesse através dos ativos e aditivos derivados da gordura animal, passar através da pele para a corrente sanguínea.
Não sou de forma alguma contra o aproveitamento da gordura animal porque é menos prejudicial ao meio ambiente ser processada pela indústria do que ser jogada no meio ambiente poluindo de forma desastrosa.
Tudo é uma questão de escolha e de analisar a melhor alternativa para cada projeto, por exemplo, numa comunidade carente pode ser mais viável o reaproveitamento do óleo ou até mesmo a transformação da gordura animal em sabão para limpeza. Para higiene pessoal não é aconselhável á reutilização do óleo de fritura por ser uma gordura saturada.
Outro detalhe pessoal é que não tenho estômago para o cheiro de sebo e teria que clarifica-lo para utilizar no sabão. Alguns saboeiros dizem que o sabão de sebo é muito bom, que o de banha demora em dar o traço, mas não testei por isso não posso afirmar.... quem sabe algum dia tenho acesso e termine testando, dai com certeza vou contar sobre as minhas experiências.
Temos inúmeras opções em óleos vegetais que não dou conta de testar todas. então porque me preocupar com gordura animal, deixo isso para as indústrias cumprirem seu papel e dessa forma a minha produção é diferenciada da indústria porque ela é artesanal, produzida em pequenos lotes e por uma única pessoa trabalhando em todas as etapas da produção!!!



sábado, 10 de julho de 2010

MEDIDAS DE SEGURANÇA AO FAZER SABÃO

AS MEDIDAS DE SEGURANÇA PREVINE E EVITA ACIDENTES.
"Medidas de segurança ao fazer sabão", utilize os equipamentos de proteção individual recomendado.
Óculos de segurança,luvas descartáveis,avental ou o famoso jaleco de mangas compridas das aulas de química. Se for alérgico, aconselho mascaras de pesticidas.
Procure também separar algumas trocas de roupa para usar ao executar as receitas. Procure estar usando calçado fechado, calça comprida e separe essas trocas de roupa apenas para quando estiver trabalhando com sabão, com o tempo esses respingos desgastam a roupa.
Muito importante:
A coisa mais importante a considerar é o risco de soda cáustica ou potassa cáustica. Estes dois ingredientes são perigosos e devem ser mantidos fora do alcance das crianças e animais domésticos. Quando misturado com água para produzir a lixívia em contato com a pele pode causar queimaduras químicas significativas.
Seguindo as instruções simples e o equipamento de segurança o risco é baixo, mas não sou responsável por qualquer uso indevido que você pode dar estas instruções.
Durante o processo, sua barra de sabão deve ser manipulada com luvas. Uma vez que a lixívia cáustica entra em contato com a gordura e, se torna um sabão pós 45 dias, não é mais um componente prejudicial para a pele. O cálculo correto de soda cáustica necessária para a gordura ser saponificada também é um fator importante, pois um excesso produz um sabão caustico e de pH elevado que não serve para usar na pele, mas em lavagem de roupas.
Temos de nos proteger enquanto manipulamos as bases com óculos para evitar respingos nos olhos e luvas para evitar contato com as mãos.
Você deve proteger a sua roupa com um avental porque os respingos da lixívia cáustica pode estraga-las. É aconselhável misturar a água com produtos alcalinos ao ar livre ou em lugares com boa ventilação.
A máscara também impede que você respire o gás que emana do calor da reação da agua com a soda e que é prejudicial porque irrita as mucosas e pulmões.
Em geral, se a roupa é com mangas compridas, calças compridas e sapatos fechados limita a possibilidade de contacto da lixívia com a pele.
Outro momento perigoso do processo é quando batemos a massa com o mix ou batedeira. É neste ponto que é mais fácil espirrar e pode ocorrer, portanto deve-se ter muito cuidado. Mantenha o batedor da batedeira ou o mix submerso antes de pressionar o botão ligar e assim reduz o risco.
Em caso de contato com a lixívia ou a massa de sabão sem saponificação deve ser lavado com água várias vezes e borrifar vinagre para neutralizar a soda. Em caso de contato com os olhos devem ser lavados durante vários minutos e procurar cuidados médicos imediatamente.
Manusear lixívia cáustica não é brincadeira de criança. Se você tem crianças em casa e quer mostrar como fazer o sabão, faça a lixivia com atecedência, sem a presença da criança e use na criança todo o equipamento de segurança, mesmo para assistir o processo. Se criança é muito pequena, vale lembrar que deveria fazer em momentos que essa criança não se encontra em casa. Não é aconselhável a manipulação e nem a exposição de crianças a produtos químicos por ser um risco a saúde. 
Todos esses avisos são para mostrar que existe um risco real que representa a soda e a líxivia cáustica, mas agindo de forma cuidadosa não envolve riscos.
Outro fator a considerar são os "óleos essenciais". Alguns deles são bastante corrosivos e foto sensíveis. Não é tão perigoso como os álcali, mas o suficiente para ter que evitar o contato direto com a pele e que se houver contato, também devem ser cuidadosamente lavados.
Outro que representada perigo e derramar ou quebrar algum vidro com óleo essencial. Não há nada mais chato que o resíduo, que em alguns casos, pode durar muitos dias e, embora um cheiro bom, pode ser bastante desagradável e provocar intolerância ou alergia por ficar exposto ao aroma por muito tempo.
Em casos especiais em que vai utilizar álcool ou solventes, como propilenoglicol ou outros componentes em geral, deve sempre levar em consideração todas as informações que eles fornecem sobre segurança, armazenamento e manuseio. Observe o limite de uso que a legislação recomenda para cada tipo de uso, para não oferecer riscos de uso.
Se você já colocou o óculos, luvas, máscara e avental, já pode começar a fazer o seu sabão.
Investir em segurança é evitar riscos e complicações!
Investir em segurança é cuidar da saúde do manipulador e de quem usa o seu produto!
Investir em segurança é ser responsável!